Apple Luta por Quota de Mercado Indiano

Vito Zapata Olivera | 12 Outubro 2016

O iPhone da Apple pode ser Produtos da Apple não têm sucesso na Índiaincrivelmente popular em muitas partes do mundo, mas a Índia não é uma delas. No segundo quarto deste ano, apenas 800 000 smartphones da marca foram enviados para o subcontinente; uma gota, em relação aos 1.2 milhões de iPhones enviados no mesmo período do ano passado.

A fraca performance da Apple na Índia não se verifica porque as pessoas não estão a comprar smartphones. O país tem conhecimentos tecnológicos, e a Internet desempenha um importante papel nas vidas dos seus habitantes, quer seja para se manterem informadas sobre os mexericos de Bollywood, aderirem a websites de encontros e casamentos, ou jogarem jogos de casino online. Dados demonstram que as vendas de smartphones no país cresceram quase 30%  entre 2015 e 2016. Os indianos simplesmente não compram iPhones.

Segundo a Strategy Analytics, o Android domina 97% do mercado. Os indianos comprarão provavelmente cerca de 139 milhões de smartphones em 2016, e a maioria deles serão provavelmente dispositivos Android.

O Preço é o Maior Fator

O desdém do mercado indiano pelo iPhone tem muito a ver com o preço. O preço de venda médio dos dispositivos Android é quatro vezes menor do que o custo do iPhone mais barato, e a Apple não parece ter qualquer intenção de produzir modelos mais baratos.

As enormes tentativas do software para criar um compromisso foram em vão; tanto por parte do governo indiano, como pela forma como os smartphones são vendidos no país.

A Apple exprimiu um desejo de comercializar dispositivos qur foram remodelados, mas o governo vetou-o. A marca também queria subsidiar dispositivos através de fornecedores de serviços móveis, mas não é provável que o mercado local fosse responder bem a isso.

Modelo de Negócio da Apple Não é Viável

Na Índia, a maioria dos smarPreços do iPhone são demasiado altos para o mercado indianotphones são vendidos através de pequenos comerciantes, e não envolvem contratos nem subsídios de fornecedores de serviços. Os planos da Apple para abrir os seus próprios estabelecimentos por toda a Índia também foram frustrados.

O ministro das finanças Arun Jaitley disse que, para a Apple abrir as suas próprias lojas, a marca teria que obedecer às regras de abastecimento do país, que exigiriam que pelo menos 30% dos componentes do iPhone fossem produzidos na Índia. Atualmente, a grande maioria dos produtos da Apple são produzidos na China.

No entanto, nem tudo são más notícias para a Apple na Índia. A marca registou quase 20% de crescimento no setor premium, enquanto a  Samsung registou um decréscimo de sensivelmente a mesma percentagem, no primeiro quarto deste ano.