Novos regulamentos espanhóis afetam a publicidade

Vito Zapata Olivera | 22 Novembro 2019

table game casino chipsA Espanha adotou uma série de novos regulamentos para o jogo, inicialmente propostos pela JDigital, a associação nacional de operadoras de iGaming. A entidade fiscalizadora do país, a Dirección General de Ordenación del Juego (DGOJ), implementou as novas regras, que entrarão em vigor a partir de 15 de janeiro do próximo ano. Estes regulamentos abordam a publicidade ao jogo e o código de conduta que rege os casinos licenciados e as casas de apostas desportivas da região.

As novas regulações abrangem três importantes pilares atinentes à responsabilidade social e à forma como esta responsabilidade afeta o marketing que as operadoras efetuam na região. Os três pilares são o jogo responsável, a proteção de menores e a ética (a veracidade do marketing). A alteração mais significativa para as operadoras será a total proibição de anunciar o jogo durante eventos desportivos ao vivo.

Maior enfoque no jogo responsável

O DGOJ, procurando assegurar o enfoque das operadoras nas suas responsabilidades sociais, criou um conjunto restrito de regras para reger as mensagens que os jogadores recebem das operadoras. Em primeiro lugar, deverão certificar-se de que a mensagem em todas as comunicações é verdadeira e não omite quaisquer informações que possa suscitar confusão.

O jogo responsável é ainda uma área-chave das novas regulações. Os anúncios e promoções das operadoras devem assegurar que é esta a mensagem transmitida. Nenhuma casa de apostas poderá sugerir que perdas significativas durante o jogo não são nada demais. Não poderão ainda sugerir que o jogo excessivo possa melhorar uma situação pessoal ou financeira. Tudo isto está interligado à mensagem que o vício do jogo é uma preocupação séria e não deverá ser tratada com indiferença na publicidade.

Alterações dos anúncios ao jogo

Ao abrigo das novas regulações, as operadoras serão responsabilizadas por todas as mensagens enviadas ao público. Cabe também à operadora informar o DGOJ se terceiros irá fazer publicidade para um evento em específico, quer se trate de uma campanha ou anúncio de propósito geral. Serão ainda responsabilizadas por assegurar que todos os termos e condições referentes a uma oferta específica são claramente comunicados aos consumidores.

Para muitas operadoras, até mesmo o aspeto visual dos anúncios poderá ter de ser alterado. Deixarão de poder utilizar atletas profissionais ainda no ativo como porta-vozes da casa de apostas. Os anúncios também não poderão incluir pessoas menores de 25 anos, com vista a assegurar que o jogo nunca é promovido a menores.